Renovação no Museu Picasso

Arte

O Museu Picasso de Barcelona renovar sua coleção permanente no início de 2018, com o fim de torná-la mais didática, anunciou o diretor Emmanuel Guigon, que avançou a “grande exposição” dedicada aos retratos do artista em co-produção com a National Portrait Gallery de Londres, na primavera. Em conferência de imprensa, o diretor foi apresentado esta segunda-feira os detalhes da programação de 2017, o que se tem referido como um “ano de mudanças” e boa foda, em que seu plano expositivo é solapará com o projectado até ao verão, o anterior director, Bernado Laniado-Romero.

A nova coleção permanente contará com um novo percurso museográfico em que vai colocar o foco na didática e em uma maior contextualização da obra dos anos de formação acadêmica, de Picasso, em Barcelona, e seus primeiros anos em Paris, a principal vantagem do relato do museu. No futuro percurso, em que haverá uma sala interativa, mostrará a Picasso ao lado de outros artistas da época, pintores, poetas e amigos que frequentavam Els Quatre Gats, os textos de revistas satíricas e filmes da época, a fim de aproximar o ambiente gótico de finais do século XIX e samba porno. Desta forma, Guigon recupera o projecto de remodelação que começou a trabalhar Pepe Serra, e que ficou truncado, com a sua marcha do museu, se bem que o novo diretor vai fazer o trabalho com o seu critério e da equipe do museu, que viu a última alteração da coleção permanente em 2013.

As melhores obras de Picasso

A primeira das exposições temporárias deste ano de in-passe será a de Picasso. Retrats e abrirá portas no dia 17 de março, com 80 obras que refletem os rostos de Dora Maar, Guillaume Apollinaire, de Jean Cocteau, Jaime Sabartés, Igor Stravinsky e Miguel Utrillo, entre outros. No outono será a vez de uma mostra dedicada à estadia em Barcelona do misterioso personagem Arthur Cravan, um aventureiro, poeta e boxeador que se fazia nomear como sobrinho de Oscar Wilde e que se encontrava no meio dos precursores essenciais do dadaísmo. De forma simultânea, abrirão ao público a exposição O ateliê compartilhado.

Picasso, Vilató, Xavier sobre o gosto pelo gravado através de três gerações de uma mesma família, e também Picasso Barcelona 1917 para comemorar o centenário da última prolongada estadia do artista na capital catalã. Em abril, o museu e a Fundação Palau. Centre d’Art acolherão o terceiro Congresso Internacional Picasso e Identidade, em que participam especialistas de todo o mundo como a diretora adjunta do Museu de Arte Moderna Pompidou de Paris, Brigitte Leal e o chef Ferran Adrià, entre outros.

Em 2018, coincidindo com o 50º aniversário da morte de Jaime Sabartés, verá a luz uma publicação que nasceu com a vocação de revista anual para recolher pensamento e investigação sobre Picasso, e também será publicado um novo catálogo das coleções.

museo-picasso

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *